Conservatório Regional do Algarve Maria Campina

  • 1973

    Em 12 de novembro de 1973, foi autorizado o funcionamento do Conservatório Regional do Algarve, a que foi atribuído o alvará nº. 2081.
    A diretora era, naturalmente, a grande pianista Maria Campina de Sousa Pereira Ruivo, a mulher que sonhou e soube lutar pela sua criação.

  • Nesta escola, que iria funcionar no Teatro Lethes, em Faro, estava autorizado o ensino de todas as disciplinas da secção de música do Conservatório Nacional e ainda de iniciação musical e ballet, em planos próprios. O alvará permitia o ensino a 180 alunos dos sexos masculino e feminino, em co-educação. O interesse despertado e a afluência de alunos determinaram que, no ano seguinte, em 10 de maio, a lotação global autorizada fosse ampliada para 280 alunos. Assim continuou, até que em 31 de março de 1982 o alvará registou nova alteração, com a nomeação da nova diretora, Maria Isabel Paula Pereira Ramos Rocheta Cassiano.

  • 1984

    Devido ao aumento constante do número de alunos, as instalações do Teatro Lethes manifestaram-se insuficientes e desajustadas para um normal funcionamento do Conservatório, tornando-se imperiosa a criação de um novo espaço dotado de condições adequadas à prossecução dos seus objetivos.
    Maria Campina, juntamente com o seu esposo, Pedro Ruivo, começaram a envidar os esforços necessários para a construção de uma escola de raiz.
    Após o falecimento da fundadora do Conservatório Regional do Algarve, em 1984, foi Pedro Ruivo que deu continuidade à obra e tornou possível, com um importante apoio financeiro governamental, a construção de um novo edifício, em terreno cedido pela Câmara Municipal de Faro.
    Pedro Ruivo faleceu em 3 de dezembro de 1994 e está sepultado ao lado de Maria Campina, no Cemitério de Loulé.

  • 1988

    Em reconhecimento pelo serviço prestado à comunidade, a Secretaria de Estado da Cultura distinguiu o Conservatório Regional do Algarve Maria Campina, em 21 de setembro de 1988, com a Medalha de Mérito Cultural.

  • 1989

    Colocação da primeira pedra, por Pedro Ruivo, das novas instalações do Conservatório Regional do Algarve, na avenida Júlio Filipe de Almeida Carrapato, em Faro.

  • 1992

    Em 21 de maio de 1992, foram aprovadas as novas instalações do Conservatório, ficando nelas autorizado o funcionamento dos cursos básicos e complementares de piano, órgão, acordeão, violino, violoncelo, viola dedilhada, flauta de bisel, flauta transversal, clarinete, saxofone e trompete, em regime de planos próprios e com programas oficiais.
    Fixou-se então a lotação de 155 alunos por turno/hora, assim distribuídos: aulas teóricas, 90 alunos e aulas de instrumento, 65 alunos. Em 5 de abril de 1993, o alvará do Conservatório regista nova alteração, com a substituição da diretora, que passa a ser Isabel Maria Motta de Figueiredo Aboim Villa Lobos. Dias depois, em 30 de abril, foi autorizada a lecionação dos cursos básico e complementar de flauta e trombone e o curso, também complementar, de canto.

  • 1993

    Foi inaugurado o edificio do Conservatório Regional do Algarve Maria Campina, pelo então primeiro-ministro, Anibal Cavaco Silva.

  • 2004

    No dia 7 de setembro de 2004, o Conservatório Regional do Algarve Maria Campina foi agraciado pela Câmara Municipal de Faro, com a Medalha de Mérito Municipal - Grau Ouro.

  • 2014

    Inicio do Curso de Ensino Artístico Especializado da Dança - Ensino Articulado.


Av. Dr. Júlio Filipe de Almeida Carrapato, 93
8000-081 Faro
(+351) 969 530 263
geral@conservatorioalgarve.com