Dança Clássica

O Conservatório Regional do Algarve Maria Campina sempre apostou na formação da dança clássica em públicos desde os 3 anos de idade. Neste sentido, a Dança Clássica, para além de toda a magia associada aos grandes bailados românticos e à dança clássica em geral, é composta por todo um conjunto de técnicas físicas verticais que, nesta fase de aprendizagem concreta, se caracterizam pela aquisição da postura correta, a rotação coxo - femoral externa, o desenvolvimento da elasticidade, do equilíbrio e da musicalidade, e também do conhecimento e aplicação das noções básicas da disciplina em dança.

Dança Contemporânea

A dança contemporânea que se produz hoje, já não está assente numa linguagem pura de movimentos. Evidencia-se como uma confluência de matérias e áreas, que a levam para longe das suas próprias fronteiras numa atitude de questionamento, pesquisa e inquietação por parte daqueles que a inventam.
Nesta perspetiva, a especificidade da matéria da dança contemporânea consiste no estudo do movimento transportado para a dimensão artística que deverá ser vivenciado pelo aluno de forma profunda, pensando que se quer chegar a uma ideia de dança contemporânea de aprendizagem rigorosa e clara, mas também acessível a todos.
As orientações curriculares para esta área de estudo, serão propostas através de quatro grandes temas referenciais como a base para um conhecimento globalizante sobre o movimento humano, as suas potencialidades e os seus limites. Os elementos serão abordados respetivamente e repetidamente numa aprendizagem de sedimentação e jogo de relações progressivamente mais elaboradas e complexas.
Sempre que a dança acontece, o CORPO (1) move-se num ESPAÇO (2), num tempo ENERGÉTICO (3) e num jogo de RELAÇÕES (4) múltiplas. É na transversalidade destes temas assumindo uma ligação e contaminação com outras áreas do saber e do currículo que toda uma experiência pedagógica e artística toma lugar.

Uma das características particulares do fenómeno da dança, é o facto de o criador não se separar do seu objeto de criação, ele é um e o mesmo. Criar e interpretar, acontecem no mesmo lugar, no corpo. Este facto proporciona um contacto e um conhecimento sobre si mesmo que mais nenhuma arte oferece.
Através do uso da comunicação não verbal, os alunos poderão participar num veículo de expressão que não aparece de forma tão total, em mais nenhuma área de aprendizagem do currículo e que dá um contributo importante para a sua educação estética, cultural, conferindo oportunidades de desenvolver formas de pensamento e expressão pessoais, e introduzindo-os ainda ao rico património que a dança, enquanto forma teatral, tem desenvolvido ao longo da sua própria história.

Iniciação ao Ballet

“O corpo é o meio mais precoce e profundo de conhecimento e relação. É nele e nos seus ritmos que se inscrevem as relações primárias que estabelecemos, e é nesse espaço de interacção mediatizada pelo corpo - espaço, olhar, toque, ritmo, movimento - que nos construímos, na nossa especificidade criativa, imaginária e simbólica, o que nos faz humanos e que devolvemos ao corpo na expressão visível do pensar, do sentir, do ser”.
Sabendo que tudo o que se prende com a dança está e emana do CORPO. Através do autoconhecimento do corpo, a criança desenvolve a expressividade, autonomia, inteligência, sensibilidade, bem como as capacidades físicas, afetivas, estéticas e sociais.
Assim, a criança adquire uma atitude criativa de comunicação, formação da personalidade e sociabilização. No sentido de atingir uma expressividade física pessoal, preserva-se a espontaneidade do movimento, explorando ideias próprias, pensando, tendo consciência das capacidades de movimento como expressão desse pensamento.

Para fomentar a expressão artística da criança, o trabalho desenvolve-se a partir de histórias infantis, num universo acessível à criança, estimulando o trabalho colectivo. A dança tem como objectivos essenciais o trabalhar do corpo, nas suas possibilidades e acções dinâmicas, fomentar a expressão artística da criança e a sua realização social. As actividades de movimento são programadas para:
• Contribuir para o crescimento e afirmação da identidade individual, através da formação de uma adequada imagem do corpo;
• Melhorar as capacidades de socialização do indivíduo; desenvolvendo o contacto, a confiança, a sensibilidade, capacidade de decisão em grupo e auto-confiança;
• Possibilitar ao corpo a sua capacidade expressiva;
• Potenciar um sentimento de sucesso e realização;
• Melhorar os elementos funcionais e dinâmicos, tais como as funções neuro-musculares em coordenação com a locomoção;
• Fornecer a variedade de movimento necessária para permitir uma capacidade organizativa, interpretativa e interventiva no mundo, de interacção social e valorizando a música como apoio à dança / musicalidade interior.


Av. Dr. Júlio Filipe de Almeida Carrapato, 93
8000-081 Faro
(+351) 969 530 263
geral@conservatorioalgarve.com